-   

 

-
 

PRESENTES RECEBIDOS (3)

 

 Poemas

 

Poetas

CIRANDA POÉTICA

 

Publicado (Publicidade A ERA DO ESPÍRITO in solo)

em 29/06/2008 - 02h00m


Atualizada em 22/01/2011 - 13h55m

  • FALAR DE AMOR - Elio Mollo (Publicidade A ERA DO ESPÍRITO)

  • FALAR DE AMOR - Gui Oliva (recebida em 30/06/2008 - 01h31m)

  • AMA E SÊ FELIZ - Eri Paiva

  • FALANDO DE AMOR... - Penhah Castro

  • ASSIM É O CAMINHO DO AMOR - Marcial Salaverry

  • NUMA TARDE DE SOL - Ary Franco

  • FALAR DE AMOR - Silvia Giovatto (faffi)

  • FALAR DE AMOR - Clara da Costa

  • FALAR DE AMOR - Esther Ribeiro Gomes

  • FALAR DE AMOR - Cássia Vicente

  • ERA DO ESPÍRITO - Ninita Lucena

  • SONHO DE CRIANÇA - Humberto Rodrigues Neto

  • POR FALAR DE AMOR... - Humberto Rodrigues Neto

-   

 

-
 

 

Agradeço aos querido amigos poetas, de alma e coração, por nos oferecerem as suas palavras em lindos e instrutivos versos envolvidos de profundo amor fraterno.

 

Que Deus nos abençoe e que possamos continuar sempre juntos nesta empreitada poética.

 

Paz... Luz... Amor... Vida

 

Elio Mollo

A ERA DO ESPÍRITO

Por um Mundo Novo e Melhor

 

* * *

 

Tema: FALAR DE AMOR

(Publicidade A ERA DO ESPÍRITO)

 

ERA DO ESPÍRITO

Por um Mundo Novo e Melhor

 

No Universo o espiritual e o material interagem um sobre o outro ininterruptamente, obedecendo a lei de afinidade, portanto, depende de nós o procurar  melhorar-se através do autoconhecimento, para que saibamos viver em sociedade de maneira solidária, de forma a abranger todas as relações com os nossos semelhantes, ou seja, na doação natural é total sem constrangimento nenhum para com o próximo, pois teremos o Amor como força regendo todas as nossas relações.

 

E. Mollo

 

* * *

 

A ERA DO ESPÍRITO

 

Valorizando a vida

 e colaborando por uma cultura

de paz e de amor. 

 

Nosso objetivo maior é a do aprendizado contínuo procurando divulgar uma bom artigo,

um lindo poema ou uma mensagem instrutiva, ou seja, tudo o que pode colaborar com a construção de um

Mundo Novo e Melhor.

 

Toda a participação para ser publicada através deste site deve conter em sua essência algo que incentive de forma positiva o nosso progresso espiritual objetivando sempre a

Confraternização Universal.  

________________

 

 

FALAR DE AMOR...

Elio Mollo

 

Falar de amor significa falar de Deus

Da harmonia que envolve os filhos Seus.

 

Falar de amor significa falar da vida

Da força que põe a alma sempre para cima.

 

Falar de amor significa falar de nossas relações

Daquelas que nos faz viver as mais belas emoções.

 

Falar de amor significa falar da natureza

Da energia que transforma tudo em beleza.

 

Falar de amor significa falar do progresso

Do trabalho que resulta em sucesso.

 

Falar de amor significa falar de ação.

Da vida que está em continua movimentação.

 

Oh! belo Amor

Tu és a força do Criador

És o único agente

que pode suprimir a dor.


* * *

 

FALAR DE AMOR 

Gui Oliva

 

Leio, reflito lindos versos, busco  falar sobre o tema,
pela mensagem  resumida, poesia na  sua conclusão,
pois falar de amor deveria ter como emblema,
sempre esse dom, lembrar do Amor reclamando ação.

 

Como falar do frio que castiga um ente,
se não busco entregar um agasalho que o esquente.
Como falar da fome que a tanta criança atordoa
se, levanto-me de um restaurante com restos de comida
que da mesa  serão jogados num lixo à toa.
Como falar de pudor, se diante de tanta falta de recato,
e portanto falta de Amor,
diante de tantos desvios, tanta impunidade, tanta desigualdade,
eu faço que não vejo, faço de conta que não  sinto doer e me calo.
Sei que a cada um está destinada, nesta vida, missão divina
mas devo confessar, diante do Pai, falta-me rima,
sei que o Amor Dele tudo supera porque é Superior,
porém a mim, falar de Amor aqui na terra, no agora,
está difícil  sem  rimar com toda a dor que o assola.

 

Sei que não se pode perder a esperança,
mas a realidade está a me exigir do coração
talvez menos poesia ou  versos com  mais ação,
enquanto houver, uma que seja, espoliada e injustiçada criança.

 

Santos/SP 29/06/2008

 

* * *

 

AMA E SÊ FELIZ
Eri Paiva

 

Amar é se permitir
Ocupar-se com alguém,
Com algo ou alguma coisa
Que possa propiciar o bem,
Alegria, felicidade,
A quem precisa e não tem!

 

Ao outro disponibilizar
Seja recursos ou saber,
Dar uma  parte do seu tempo,
De sua força, seu poder
Dispensar-lhe seus talentos
Isto é  amar prá valer!

 

Ama, ama simplesmente,
Sem cobrança e ostentação,
Sem querer reconhecimento
A quem estendeste a mão.
Ama e sê feliz
Fazendo feliz teu irmão!

 

Esta é a recompensa
Que lograrás sem buscar!
Antes do  outro ser feliz,
Já estás a te beneficiar...
É o coração que diz:
Só é feliz quem sabe amar!

 

Em 22. 10. 2009

 

* * *

 

FALANDO DE AMOR...
by Penhah Castro

 

O mundo vai ser muito melhor
Se começarmos a cuidar de cada um de nós...
Se cada um ouvir o seu coração
vai ter cada dia uma nova lição...
Deus nos ensina ao próximo  amar 
como a nós mesmos devemos nos amar...
Como vamos ,coração que muito se ama, saber 
o que dar sem antes experimentar...
Como oferecer um alimento sem ao menos o conhecer...
Nós temos um grande trabalho de nos manter equilibrados
nas linhas tênues da vida...
No tempo PRESENTE onde temos 24hs para agir...
A diferença em cada ser é o que ele faz para merecer...
Assim vamos dar as mãos a todos que constroem sua vida
e, tem coragem de mostrar um coração
que se expõe aberto para amar sem nenhum protesto...
Sem nenhuma condição para se expor á paixão...

 

* * *

 

ASSIM É O CAMINHO DO AMOR
Marcial Salaverry

 

Não podemos ser egoistas no amor,
assim, ele perde seu calor...
Amor não quer cobranças,
ele é doação, deixa boas lembranças...
Amor não causa sofrimento,
e nem quer lamento...
Amor é felicidade, é reciprocidade,
e quer viver em liberdade,
para não acabar só na saudade...
Palavras de amargura,
tiram da vida a doçura,
acabam com a ternura,
e matam a emoção,
que existe no coração...
É assim nosso caminho pela vida...
Um caminho que pode ser
apenas de paz e amor...

 

* * *

 

NUMA TARDE DE SOL

(CRÔNICA)
Ary Franco

 

Quarta-feira, tarde de sol, um banco em uma praça ajardinada e arborizada.

 

Estava eu sentado com o olhar fixo no supermercado do outro lado da rua, quando ouço um boa tarde, com licença... nós estamos encarregadas pelo nosso Colégio de fazer uma pesquisa sobre o amor, o sr. se incomoda de dizer algumas palavras sobre o amor?

 

Virei-me de frente para três meninas de 17 ou 18 anos. Sorri e fiz menção de levantar-me mas uma delas insistiu que eu permanecesse sentado.

 

_ Pelo sorriso, acho que estamos falando com a pessoa certa.

 

_ De certo modo sim, qual dos amores vocês querem que eu fale?

 

_ Como assim?

 

_ Bom, existe o amor a Deus, amor materno, amor paterno, amor fraterno, amor ao próximo, amor filial, amor entre duas pessoas de sexos opostos...

 

_ Ah, nós queremos esse último que o sr. disse.

 

_ Está bem! O amor...

 

_ Um momentinho, por favor, a Suzana vai preparar a máquina de filmar. Quando nos contarmos até três, o sr. começa – OK?

 

_ Tudo bem, estou pronto!

 

_ Um, dois, três,

 

_ Um casal sente-se atraído, um pelo outro, primeiramente pela aparência física, empatia, comunhão de pensamentos e tudo isso, com o tempo do relacionamento, é somado e surge o amor. Se for forte e solidificar-se, acaba nascendo aquela necessidade de permanecerem juntos e, quando separados, sentem a impressão de estarem pela metade. Daí se casam. O tempo passa, a beleza física, que tem apenas a espessura da pele vai desaparecendo aos poucos, mas o amor vai crescendo na proporção inversa e no final sobra apenas ele mantendo a união estável. Eu estou aqui sentado neste banco esperando “minha velha” fazer um sinal quando chegar no caixa com as compras feitas.

 

Amor é isso: é doar, renunciar, dividir, ceder, se entregar e... amar. Estou com 53 anos de casado e se vocês me perguntarem como é a minha mulher, eu direi: entra naquele supermercado e a pessoa mais bela que você vir, com cabelos brancos, é ela!
     
Nisso, eu que estava com o olhar fixo na lente da filmadora, ouço um soluço abafado e quando olho, as três adolescentes estavam chorando.

 

_ Que coisa linda!

 

_ Psiu, fez a do meio!
      
Aí contei a estória do marido que ia todos os dias visitar a esposa que estava internada num hospital. Quando um colega disse-lhe: “Não entendo você, se aprontar todo, levar uma flor todos os dias para tua mulher e ela nem sabe quem você é; não reconhece mais ninguém”. Então o marido disse: “É... mas eu ainda me lembro de quem ela foi e o que ela representa para mim”.
      
Então aconteceu um “buah” geral, a moça que estava filmando desligou o aparelho e disse-me:

 

_ Puxa, eu também estava chorando mas não podia tremer a máquina. Muito obrigada!

 

_ Gente, eu acho que não precisamos entrevistar mais ninguém!

 

_ Será que dá pra ganharem um 8? Perguntei.

 

_ 8? Não aceitamos menos que mil! O sr. se importa de dar o seu nome e telefone?

 

_ Pois não, podem anotar. Ary Franco, fone: tal, tal, tal!
  
Nessas alturas levantei-me, ganhei ósculos laterais e agradecimentos emocionados.
  
Ao se afastarem, uma delas virou-se para trás e disse: “o sr. podia ser uma poeta!”

 

_ Obrigado, quem sabe um dia...!

 

* * *

 

FALAR DE AMOR
Silvia Giovatto (faffi)

 

Quando falamos da natureza, dos animais,
da nossa família, dos nossos amigos,
estamos falando de amor...
Falar de amor é falar do sol, da lua, do mar
das estrelas das flores dos pássaros, dos animais
falar de amor é falar das coisas que fazem parte da nossa vida,
dessa vida que ganhamos do nosso pai maior
e que talvez, até hoje ainda não soubemos agradecer
e nem dar à ela o valor merecido.
Só quando falamos de amor usamos o mesmo verbo,
a mesma frase, no mesmo tom, no mesmo tempo, na mesma conotação.
Enquanto o amor existir no coração do homem
o universo espiritual e o material vão estar unidos
e a esperança de tempos melhores vai correr nas nossas veias
fazendo palpitar de emoção o nosso coração.
Vamos abraçar essa causa, vamos falar de amor, sempre!
Só com esse sentimento de dedicação absoluta,
vamos poder modificar o nosso mundo.

 

* * *

 

FALAR DE AMOR
Clara da Costa

 

Falar de amor
é sentir a emoção,
o descompasso do coração,
frente às dádivas da natureza.

 

Falar de amor,
é olhar o mundo,
como os olhos de uma criança,
com inocência e ternura.

 

Falar de amor,
é amar com sinceridade,
como mãos entrelaçadas.

 

Falar de amor,
é voar como a borboleta,
e pousar livre nos braços da paz.

 

* * *

 

FALAR DE AMOR
Esther Ribeiro Gomes

 

Um olhar pode dizer mais que mil palavras.

 

Quando duas pessoas estão em sintonia, nem é preciso falar, basta um olhar...

 

Assim é o amor, quando recíproco, os corações se entendem e as almas se completam!

 

Diz a canção que todo tipo de amor vale a pena: amor-paixão, amor-amizade, amor-filial e amor-solidariedade, o amor ao próximo que Jesus nos ensinou.

 

O amor de Deus por nós é incondicional, amor divino que é pura doação.

 

Somos humanos, portanto, falíveis, mas em nossa caminhada terrena é preciso aprender a amar assim, sem egoísmos nem exigências que vão minando os relacionamentos.

 

Dos dois mandamentos que Jesus nos ensinou: amar a Deus sobre todas as coisas e amar ao próximo como a nós mesmos, este é o mais difícil.

 

Há pessoas que não são fáceis de amar porque são geniosas, egoístas e intolerantes, ou, então, nos fizeram algum mal, mas é aí que reside o aperfeiçoamento espiritual: é preciso aprender a amá-las e perdoá-las!

 

Amar a família, os amigos, aqueles que nos querem bem, é muito fácil, difícil é amar os antipáticos, os arrogantes, os inimigos...

 

Mas é preciso alcançar a evolução da alma para ter um coração que não guarde mágoas nem rancor...

 

Será que um dia a humanidade terá sabedoria suficiente para amar incondicionalmente, independente de credos e raças, aprendendo a respeitar o próximo e aceitando as opiniões divergentes?

 

Será utopia pensar que um dia haverá tolerância e compaixão entre os povos e que poderemos vislumbrar um mundo mais justo e fraterno?!

 

Quando o ser humano vai entender que o amor é o único caminho para conseguir as tão desejadas Paz e Felicidade?!

 

Mas enquanto o mundo não mudar, que tal começar treinando a paciência e a tolerância dentro de casa e na vizinhança? Que tal distribuir sorrisos e abraçar quem precisa de atenção, de um carinho?

 

Um abraço e um sorriso podem alegrar alguém, é carinho que vai e vem, aquece o coração e manda embora a solidão!

 

* * *

 

FALAR DE AMOR
Cássia Vicente

 

E por falar de Amor...Vôce!
Falar de Amor é falar de Você:
natureza que oferece oportunidades,
criança que nasce para evoluir,
pai e mãe que praticam educar,
pessoa que compartilha para crescer,
professor que ensina caminhos,
mestre que mostra direção...
Humanidade que estabelece evoluir...
Casulo que se abre e produz energia pura
mistérios do céu à terra que mostra Vida...
e por falar de amor...Vida!

 

* * *

 

ERA DO ESPÍRITO
Ninita Lucena

 

Era do Espírito, Era da Luz
Que em abundância, flui
Muita energia positiva;
Era da busca da Paz
Onde tudo que se faz
É semear a semente
Que logo, certamente,
Dará muitos frutos.
A palavra é semente
Poderosa e presente
Entre povos e nações.
Palavra é potência,
Fonte de clemência.
Fonte de sabedoria,
Que preenche os dias
Da nossa vida com amor.
Quando com sabedoria
E dotada de ousadia
Resolve os conflitos.
Palavras, tens favoritos
Verbais ou mesmo escrito,
Te revelas, sendo arauto
Para que haja o salto
Para outras dimensões.
Na Era do Espírito.
O que há de bendito
É mesmo a palavra,.
Fonte de vida que salva
A humanidade sofrida
Sendo terapia e guarida;
Palavra, como és querida.

 

* * *

 

SONHO DE CRIANÇA
Humberto Rodrigues Neto
 

Após o término da aula de Evangelização Infantil, no Centro Espírita, Raquel, uma das meninas conversa com sua coleguinha Márcia, que se encontra algo triste:
 
— Marcinha... Está havendo algum problema com você?
 
— Não... Por que  você está me perguntando isso?
 
— Porque hoje, na classe, achei que você estava um pouco triste...
 
— É... Ando um pouco chateada. São os meus pais, sabe?
 
— Que é que têm  seus pais?
 
–– Sei  lá...   às vezes fico pensando que eles gostam mais da televisão do que de mim.
 
— Que  é isso?  Mas que bobagem!
 
— Bobagem?  Olha: quando a minha mãe está vendo a novela  eu não posso dar um pio.  Não permite que eu abra a boca! Isso é vida?
 
— Mas, Raquel... não pense que a minha mãe seja muito diferente. É  claro que  às vezes, durante o intervalo, me  ajuda em alguma dúvida nas lições da escola, por exemplo.
 
— Ah, então sua mãe é um pouco mais legal que a minha. E o seu pai?
 
— Bem... aí a coisa fica um pouco mais difícil. Mesmo assim, uma vez ou outra ele me dá um pouco de atenção enquanto está assistindo ao futebol.
 
— Pois com meu pai já é bem diferente.
 
— É mesmo? Como, assim?
 
— Ah... ele chega em casa, joga a pasta e o paletó numa cadeira e nem sequer   me dá um beijo. Liga a televisão no futebol ou no noticiário e não quer nem  saber de nada. Só me dá alguma atenção nos intervalos, e mesmo assim, ó...  bem rapidinho, sabe?
 
— Eu  entendo, Marcinha...   Mas,  quantas  vezes  a  D.ª Cristina,  nossa
Evangelizadora,  não nos disse para termos paciência com nossos pais? Às vezes sua mãe  pode estar cansada, e...
 
— Cansada?  Cansada disso tudo ando eu, Raquel!
 
— Calma, amiguinha... Calma... Vamos devagar.
 
— E  se a televisão queima... Ah... não dá outra:  Eles correm como uns loucos  e mandam consertá-la num instantinho.   Não conseguem passar nem um dia sem ela!
 
— E quem é que passa sem televisão? O conserto tem que ser rápido, mesmo, pois a televisão faz parte do lazer da família.
 
— Só que lá em casa, o conserto da TV  é “vapt-vupt”!  Mas quando é para me comprar um vestido novo... Chiii...  aquilo demora séculos!
 
— Mas, isso são provas que temos de sofrer nesta encarnação, conforme   ouvi numa palestra.
 
— Eu sei disso, Raquel. Eu também aprendi numa palestra que a gente pode escolher o tipo de vida que deseja ter na outra encarnação. Só assim é que eu vou  conseguir acabar com essa falta de atenção do meu pai e da minha mãe.
 
— Já sei. Você vai pedir para nascer em outro lar, como filha de outros pais, que sejam mais compreensivos?
 
— Não, Raquel! Isso não. Eu gosto muito deles dois. Vou pedir para tornar a nascer no mesmo lar.
 
— Espere  um pouco. Não entendi.  Desse jeito   os seus problemas vão
continuar.
 
— Não vão, não, Raquel. Já pensei em tudo, amiguinha! Nesse novo lar meus  pais de hoje vão me adorar!  
 
— Mas, de que forma você vai conseguir isso?
 
— Eu vou pedir para ser a televisão!

 


* * *

 

POR FALAR DE AMOR...
Humberto Rodrigues Neto
 
Doação de amor verdadeira
não se faz só com a carteira
abarrotada de notas.
Faz-se no apoio aos carentes,
nas  celas  dos  delinqüentes,
no hospital, junto aos doentes,
nas  preces  pias  e  devotas.
 
Todo o amor está no instante
do lugar dado à gestante
no  aperto  da  condução.
É o que vai, num gesto nobre,
que lhe falte ou que lhe sobre,
levar  à  choça  do pobre
a roupa, o remédio e o pão!
 
É limpar lixo que o alheio
esqueceu  pelo passeio,
sem que isso nos diminua.
Por amor jamais se nega
o braço à  pessoa cega,
o bocado  que se entrega
ao  cão  faminto  da rua!

 

Amor é até mais que isso,
é um dar-se sem compromisso
de espaço, de tempo ou hora...
O amor é pôr-se a caminho
de um asilo pobrezinho,
pra ir confortar um velhinho
que a família jogou fora!

 

* * *


 

Seja altruista e colabore sempre em prol da construção de um Mundo Novo e Melhor.

 

 

* * *

 

 

 

 

 

Você faz parte desta linda família

 

 

 

 
-   

 

-

 

PRESENTES POÉTICOS PARA KAREN & KARINA

(minhas netinhas gêmeas)

 

 

PRESENTES OFERECIDOS

SALVE LIVIA!

 

PRESENTES RECEBIDOS (1)

PRESENTE RECEBIDO (2)

(José Ernesto Ferraresso)

PRESENTES RECEBIDOS (3)

PRESENTE RECEBIDO (4)

(Cássio Lopes)

PRESENTE RECEBIDO (5)

(Eduardo Samuel Ferreira)

PRESENTE RECEBIDO (6)

(Silvia Giovatto/Faffi)

PREMIO RECEBIDO (7)

(Roberto Romanelli Maia)

PRESENTE RECEBIDO (Dueto)

Elio Mollo / Gui Oliva

PRESENTE RECEBIDO (8)

Regina Coeli

Mapa do Site

Página das Poesias

Página Inicial

Música: Proteção as Borboletas --> Grupo Etnia ------>