-   

T

-

 

TORQUEMADA

Humberto Rodrigues Neto

 
 

 

Tomás de Torquemada nasceu em Valladolid, Espanha, em 1420 e desencarnou em Ávila em 1498, tornando-se célebre pela severidade com que punia os não seguidores do catolicismo, especialmente judeus e muçulmanos, tudo sob o incentivo dos reis da Espanha, Fernando e Isabel, dos quais era confessor e sob cujo reinado foram julgados cerca de cem mil causas.

 

Este era o homem que mandou atear, nos idos sinistros da idade média, durante a Inquisição, milhares de fogueiras, cujas chamas encheram de suplício e horror os que não professassem o catolicismo.

 

Em 1836, na Guerra Civil do Sete Anos, os partidários da regente Maria Cristina, profanaram-lhe o túmulo e lançaram seus restos mortais numa fogueira em Ávila,  espalhando suas cinzas ao vento, tal o ódio que lhe votavam.

 

Muitos anos depois, no Sanatório Espírita de Uberaba, então dirigido  por mais de 50 anos pelo doutor Inácio Ferreira, eminente psiquiatra espírita, chega certo dia, para tratamento, o jovem Paulinho, que ali é trazido amarrado, por seu pai Juliano, fazendeiro que, não obstante católico, achava-se desiludido pelos inúmeros tratamentos a que  submetera o filho, vítima de cruel obsessão.

 

Após muito tempo sob a desvelada atenção daquele médico, e depois de exaustivas sessões de desobsessão, constataram que o assédio provinha do espírito do célebre inquisidor espanhol, que sacrificara centenas de antagonistas de sua crença.

 

Mas, depois de doutrinado, esse espírito capitulou, obtendo a graça de renascer no lar de uma de suas vítimas, numa reencarnação que lhe traria acerbos sofrimentos, pois não enxergava e tinha pernas e braços menores que os normais. Em suma, era um novo Quasímodo, ou, um pequeno monstro!

 

Até mesmo sua desencarnação se deu de forma aterrorizante, pois certo dia, longe das vistas do casal Paulinho/Mariana, ao encontrar-se deitado no berço, foi abocanhado por enorme sucuri vinda da floresta próxima!

 

Embora ainda esteja atormentado por inúmeros obsessores desejosos de vingança, prossegue infatigável o esforço para livrá-lo do jugo de seus algozes, através da extremada dedicação dos companheiros do antigo médico de Uberaba, conforme se depreende do livro “Do Outro Lado do Espelho”, ditado pelo espírito do próprio doutor Inácio Ferreira ao médium Carlos A. Bacelli., fatos que chegaram ao nosso conhecimento através da interessantíssima crônica publicada por Kleber Halfeld, na revista “Reformador”, de dezembro/2002.

 

Eis aí um exemplo flagrante de que o inferno não se constitui das chamas do fogo eterno que aguardariam os maus no dia do Juízo Final. O inferno não é eterno: vai sendo construído ao longo da vida por aqueles que se comprazem no mal ao próximo, e paulatinamente regenerados na medida das expiações e das boas obras que vierem a praticar durante as reencarnações futuras. 


* * *

 

 

 
-   

Publicado no PORTAL A ERA DO ESPÍRITO com a autorização do autor.

-