-   

TSoneto Espírita

-

 
Ouvidos

Humberto Rodrigues Neto

 
 
 
Quanta vez – diz Emmanuel (*) – nosso ouvido
presta-se a ouvir murmurações do alheio;
a injúria apraz-lhe mais que o galanteio,
prefere o termo chulo ao tom polido.
 
E junto às portas põe-se de sentido,
a haurir a intriga e o falatório feio;
mas fá-lo, às vezes, mais por vão recreio,
que por falhas de um mal não corrigido.
 
Presos ainda às falhas deste plano,
não permitimos ouça o ouvido humano
essa orquestra do amor que em nós cintila.
 
Pra isso é  preciso, em atitudes calmas,
nos coloquemos, pra poder ouvi-la,
dentro da acústica de nossas almas!
 

--- oOo ---

 

 

 
-   

Publicado no PORTAL A ERA DO ESPÍRITO com a autorização do autor

-