-   

T

-

 

FÉ – GRAÇA OU CONQUISTA?

Humberto Rodrigues Neto

 
 

 

Ao contrário do que afirmam nossos irmãos evangélicos e católicos, ninguém nasce com a fé, e não acredito seja ela uma graça especial de Deus concedida aleatoriamente apenas àqueles a quem destina a benesse de já nascerem com essa virtude, pois se assim fosse, o Senhor perderia um de seus mais importantes atributos, que é o da irrestrita justiça, privilegiando com o dom da fé apenas algumas criaturas em detrimento de outras.

A fé constrói-se na certeza do que nos é ensinado racionalmente, e jamais adquirida na crença em dogmas de difícil assimilação quando submetidos ao crivo do bom senso.

Construímo-la a cada dia, pedacinho a pedacinho, ante a racionalidade do que nos ensinam os bons espíritos e em face das provas irrefutáveis que a todo instante nos chegam através das mensagens que eles nos transmitem.

É por isso que a nossa fé é firme e não admite dubiedade ou incerteza naquilo em que realmente acreditamos.

Enquanto a doutrinação dos demais irmãos cristãos é ministrada horizontalmente, do centro para os lados, ao rés do chão, a nossa se irradia verticalmente, de cima para baixo.

Vamos tentar explicar melhor como se processa a mecânica de tais procedimentos.

Nas demais ideologias fundamentadas no Cristianismo, um homem lê as escrituras, interpreta-as a seu modo e as transmite a vários outros homens, os quais, por sua vez, as retransmitem a um grupo de outros seres, e assim sucessivamente, sempre horizontalmente, ao nível do solo.

Falível que é natureza do ser humano, a cada transmissão de uns para os seguintes, jamais estarão livres de acrescentar conceitos pessoais e particulares àquilo que recebem, havendo, portanto, a probabilidade sempre presente de adulterações das verdades constantes dos textos originais naquilo que dizem.

A nossa filosofia, porém, nasce e vem diretamente do alto, através da voz direta dos enviados de Deus, os bons espíritos, e caem verticalmente sobre nós, imunes a interferências e livres de quaisquer erros de interpretação, já que adrede submetidos ao criterioso exame de confrades assaz experientes nessas lides.

Enquanto a fé dos demais credos cristãos é imposta, a nossa é aceita. Eis a grande diferença.

Temos fé, não pela necessidade de sermos agradáveis a Deus, mas por estarmos convictos da verdade existente naquilo em que acreditamos.


* * *

 

 

 
-   

Publicado no PORTAL A ERA DO ESPÍRITO com a autorização do autor.

-