-   

T

-

 

EXPERIÊNCIA MEDIÚNICA

VIVIDA PELA CANTORA JOANNA

(Transcrevendo texto de Amaury Jr, datado de 02/08/2008)

Humberto Rodrigues Neto

 
 

 

Com receio de ser mal interpretada pela mídia, que poderia tratar o assunto de modo sensacionalista, como se fosse um apelo em busca de visibilidade, a cantora Joanna resolveu esconder uma de suas experiências mais fascinantes, vivida durante um show em Belém do Pará.

 

Quem conhece Joanna bem sabe que seu escrúpulo jamais permitiria algo dessa natureza para ludibriar o público, até porque o sucesso da cantora é mais que suficiente sem a mínima necessidade de apelos e trapaças.

 

Normalmente Joanna não consegue enxergar quem está na platéia, o que é comum à maioria que enfrenta no palco os “spotlights” que ofuscam a visão. Mas nessa noite foi diferente. Ela conseguia, sim, enxergar, com nitidez, apenas uma pessoa. Era a figura de um jovem de singular beleza, que chamava a atenção por usar bandagens na cabeça, parecia um vistoso turbante. E o jovem sorria o tempo todo.

 

Joanna contou depois de encerrado o show que não conseguia desviar o olhar daquele homem, algo a impelia a cantar especialmente para ele.

 

No camarim, como sempre lotado de amigos e admiradores, Joanna então perguntou:

 

- Quem era o rapaz de turbante na platéia? Ninguém soube responder, porque ninguém o havia notado.

 

Joanna: - Impossível. Ele estava na primeira fila e com aquele turbante era impossível não percebê-lo.

 

Intrigada, passou a descrevê-lo com detalhes, quando foi observando algumas pessoas da cidade se entreolhando, algumas boquiabertas. Era a descrição exata da fisionomia de um eletricista de Belém que havia morrido eletrocutado em acidente de trabalho, poucas semanas antes do show. Fã ardoroso de Joanna, alguém lembrou que tinha sido ele um dos primeiros a procurar o teatro para garantir que não ficasse sem ingresso. Era seu sonho assisti-la.

 

O assunto era instigante demais. Mandaram chamar os pais do rapaz no dia seguinte trazendo uma foto do filho. Joanna quase desfaleceu. Era o próprio. Ficou sabendo de sua excitação desde quando anunciaram o show em Belém.

 

Católica e muito espiritualizada, ela tem absoluta certeza que viveu uma experiência mediúnica.

 

Detalhe: a família cuidou para que o filho fosse velado convenientemente. O choque elétrico de alta tensão que o matou castigou sua cabeça, queimando-a inteira, e ela foi coberta com uma atadura, parecendo um turbante.

 

Fonte: http://www.amauryjr.com.br/interna.cfm?noticia=1188

 

* * *

 

 
-   

Publicado no PORTAL A ERA DO ESPÍRITO com a autorização do autor.

-