-   

T

-

 

RESIGNAÇÃO

Elio Mollo

12 - abril - 2008

 
 

 

Não devemos ver a resignação

como uma atitude passiva

em nenhuma situação

de dificuldade ou sofrimento,

e sim como um desafio a resolver,

para o mal não engrandecer.

 

Lamentar, reclamar ou revoltar-se

são atitudes que de lado deve deixar-se.

É sensato procurar o caminho da solução,

sem alimentar nenhuma ilusão,

mas lutar com ânimo, paciência

e muita dedicação

para se chegar a uma razoável conclusão,

pois assim exige a Lei do Progresso

quando se deseja atingir a meta da resolução,

é assim que deve ser entendida a resignação.

 

Renunciar não é abdicar promovendo a sujeição,

mas sim, se dedicar a uma boa intenção.

 

* * *

 

 
-   

T

-