-   

T

-

 

(RE)DESCOBRINDO O AMOR

Elio Mollo

 
 

 

Na juventude o amor manifesta-se de muitas maneiras.
Na alma da menina promove os anseios de mulher...
No menino desperta a vivacidade da masculinidade...
Se na infância menino e menina se combatiam,
Na mocidade surge um sentimento diferente pelo sexo oposto.
Um simples olhar e capaz de levar um(a) jovem até as estrelas.
É um sentimento que gera o desejo de estar um ao lado do outro.
Capaz de fazer sonhar acordado...
De sentir uma felicidade plena, agradável e permanente.
Gestos de carinho, olhares perdidos para um lugar qualquer.
É o amor dos enamorados que promovem presentes.
Surgem gestos espontâneos: mimos, flores, bombons...
Um segurar de mãos, carícias, o primeiro beijo.
Mas se já ultrapassamos essa idade,
Em qualquer momento podemos relembrar desses momentos felizes,
Afinal, amor que é amor nunca acaba.
Pode ser redescoberto em qualquer estação do ano:
No verão refrigera a alma;
No outono sustenta o vigor do corpo;
No inverno mantém o espírito aquecido;
Na primavera põe a mostra o coração florido e perfumado.
Sempre há uma oportunidade em que podemos surpreender o nosso amor
Com gestos carinhosos e apaixonados.
Passear, dançar, um jantar.
Juntos, olhar as estrelas, o luar...
Unidos num abraço sonhar.
Redescobrir aquele amor que um dia nos uniu.
Afinal, o amor não envelhece jamais,
Pois é o sentimento mais sublime que Deus nos ofereceu
Para vivermos juntinhos, de coração a coração, com o nosso ser amado.

Poesia com base num artigo da MOMENTO ESPÍRITA
intitulado REVIVENDO O AMOR.

* * *

 

 
-   

T

-

 

 

Engelbert Humperdinck - Unchained melody » » » » » »