-   

 

-
 

Tema: DOCE POESIA

 

 Poemas

 

Poetas

(CIRANDA POÉTICA)

 

Primeira publicação (Esther R. Gomes in solo)

em 08/07/2010 - 23h04m


Última atualização:

em 01/08/2010 - 12h51m

Esther Ribeiro Gomes / Nídia Vargas Potsch
Marcial Salaverry / Clara da Costa
Jaak Bosmans / Penhah Castro
Ninita Lucena / Diógenes Pereira de Araújo & Maria Thereza Neves
Eri Paiva / Muriel Elisa Távora Niess Pokk
Guida Linhares / Cássia Vicente
Rogério Miranda / Anna Peralva
Regina Coeli / Francis Raposo Ferreira
Zenaide Giovinazzo / Humberto Rodrigues Neto
Marilza Pereira Calsavara (MDLUZ)
Naidaterra / Silvia Giovatto (faffi)

-   

 

-
 

 

DOCE POESIA...
Esther Ribeiro Gomes
 
Quando a saudade meu peito invade
e a solidão vem me fazer companhia,
minha alma se veste de fantasia
e os versos fluem na emoção
que transborda do meu coração...
 
Ah, poesia, és vida, és minha alegria!
Quando a noite fria estremece a alma,
as estrelas sussurram os versos que traço
e a lua desce do céu para me dar um abraço...
 
Doce poesia, minha alma contigo voa
e junto às estrelas do firmamento,
segue serena ao sabor do vento...
Encontra repouso numa nuvem branca,
trazendo para mim, paz e esperança!

 

* * *

 

DOCES POESIAS
Nídia Vargas Potsch

 

"A Poesia é a mais segura plataforma para pousarmos nossos momentos únicos!"
Carmo Vasconcelos
 
A partir das Poesias
alçamos vôos infindáveis.
Algumas vezes imaginários,
outras vezes pura ficção,
ou com muito de realidade...
 
Sem este fluir
a Vida se tornaria vazia,
sem sentido algum...
Poesia, eterna, fiel
e amiga confidente!
 
Através da Poesia
nos confessamos, nos analisamos,
nos criticamos, nos expomos,
nos expressamos com alma e coração...
 
Nossos momentos únicos,
de euforia, de dor,
de ressentimentos, ou mágoas,
de medo, de solidão,
de alegria, e felicidade,
de expectativas,
todos eles passam; mas,
vão além do imaginável
quando o Poeta
pega sua pena e escreve
sobre os sentimentos e emoções
que do seu íntimo
querem o privilégio
de fluir em vôos versejados...
 
É um expressar-se
tão compungente que
surpreende sempre o leitor
pela magia e encantamento
que nos proporciona...
 
É... A Vida tem dessas coisas...

 

@Mensageir@
Rio, 12/03/2010

 

* * *

 

A MAGIA DA POESIA
Marcial Salaverry

 

Esta é a magia da poesia...
Os poetas tem algo especial no cérebro,
que lhes permite
"sentir" as coisas
de outra maneira,
e, sem fazer besteira,
vivem mais lindamente a vida...
Onde se vê tristeza,
o poeta vê beleza...
Onde se vê dor,
o poeta sente amor...
Nem sempre somos compreendidos,
mas... assim somos e assim vivemos...
Quem não nos entende,
diz que vivemos fora da realidade...
Na verdade, dizemos as ilusões
da maneira mais verdadeira possível...
Assim somos os poetas,
nem sempre rimamos,
mas... poetamos...
E sua alma encantamos...

 

* * *

 

DOCE POESIA
Clara da Costa

 

Teimosamente, não deixo de acreditar...
a tristeza pega carona com o vento,
descubro um coração ainda a palpitar
vibrante dentro do peito.

 

Quando o grito é sufocado,
olho para o céu,
encontro versos
no balé dos pássaros.

 

Poeta e poesia,
uma pura simbiose
que cala e acalma.

 

Minh'alma continuará a voar,
enquanto existir a doce poesia do amor,
que embala e suaviza a solidão do tempo..

 

* * *

 

DOCE AO DOCE
Jaak Bosmans

 

Suaves e delicados são os “suspiros”
Em brancas gotas de pura doçura
Combinados com desejos e sedução.

 

Mas nada como os “Romeu e Julieta”
Eterno romance entre as diferenças
No come quieto bem mineiro.

 

Feios e enrugados vêm os “olho de sogra”
Anunciando sempre o final da festa
Servidos em todo e qualquer casamento.

 

E na quitanda de nossas vidas
Esquina da rua das despedidas
Nunca falta um “amor em pedaços”.

 

* * *

 

DOCE POESIA
by Penhah Castro
 
Doce poesia que nasce em meu coração
dizendo da sua alegria
das suas constantes fantasias
dos sonhos onde quero navegar
do amor que nunca canso de esperar...

 

Ah! Minha poesia companheira
onde me sinto sempre feliz
compartilhando meu conhecimento
ou simplesmente dizendo
deste meu rico sentir...

 

Ora triste, ora alegre
Ora caída, ora lutando
Mas a esperança sempre crescendo...
As lagrimas tem livre acesso
quando chegam ás margens dos meus olhos...
Vem de roldão quando a tristeza chega
transbordante em lágrimas de dor
com versos que se fossem exprimidos
encheriam um oceano de amor...

 

* * *

 

DOCE POESIA
Ninita Lucena
 
A doce poesia é semelhante a rosa,
Sendo tão doce, suave e perfumada
Também apresenta espinhos, garras
De defesa que agem a toda prova,
 
Mesmo no seu jeito de dengosa,

A rosa tem peculiaridades reveladas.
Assim posso dizer, a poesia narra
A doçura e a dor que se renovam
 
Alternando-se: o poeta que em prosa
Ou em verso tem a alma proclamada,
O seu espírito, no inesperado esbarra
E vai poetando, extrapolando as normas.
 
Poesia doce, que o amargo comporta,
A sua essência e nas voltas dadas
Vai se alegrando como se em uma farra
Estivesse no êxtase traçado sua forma.
 
Às vezes na dor se contorce charmosa,
Mesmo que o amor deixe um recado
Ao mundo chorando e dando risadas,
Porque ele é ambivalente, vai e retorna.

 

* * *

 

POEMA SOLITÁRIO
Entrelace
Diógenes Pereira de Araújo & Maria Thereza Neves

 

Poema Solitário, oferecido
a pessoas carentes de leitura
que, por ingredientes de cultura,
somente em assistir têm consistido.
Diógenes

 

Que o Poema não seja tão solitário
os carentes de leitura, cultura
ja estão cego, falidos
cheios de nadas.
MariaThereza

 

Poema Solitário, sem gravura,
sem fundo musical, sem colorido,
procura transmitir, se acaso lido,
tua semente fértil de ternura.
Diógenes

 

Melhor colorir o Poema Solitário
com gravuras
e música
fertilizará mais a ternura.
MariaThereza

 

Poema Solitário, Águia Real,
mensageiro dos sonhos que acalento,
dos quais és guardião e corolário,
Diógenes

 

Poema Solitário
mensageiro de letras e cores
num acalanto de sinfonias
mensageiro de sonhos,
MariaThereza

 

alça confiante vôo triunfal,
vai fecundar o sol, o céu, o vento,
com meus sonhos, Poema Solitário.
Diógenes

 

num vôo ao infinito
espalhando, soprando ao vento sementes de um Poema Solitário
sem cores, gravuras
mas que seja
pelo menos
com uma triste canção
que fale ao coração .
MariaThereza

 

* * *

 

DOCE POESIA
Eri Paiva

 

A tarde caia e eu me lembro ainda
O encanto que era nós dois a passear!
Sentávamos no banco do jardim,
Em teu peito me fazias repousar
E teu olhar perdia-se dentro de mim!

 

Enquanto o sol de nós se despedia
Eu escutava de amor tuas palavras...
Tanta felicidade em mim havia!
Entre nós tudo era qual doce poesia
Que encantando nos embriagava!

 

Hoje distantes, nem sabemos onde,
Nem a razão da vida nos separar...
Algo me diz que uma centelha de amor
Esconde-se na saudade que restou...
Nova e doce poesia vai nos encantar!

 

Em 10. 07. 2010

 

* * *

 

DOCE POESIA
Muriel Elisa Távora Niess Pokk

 

Vens ao amanhecer me beijar
Acordar assim é tão gostoso
Não posso mais nada desejar
Adoro ter-te como esposo

 

És um perfume muito raro
Como terna e doce poesia
Como um lindo luar claro
És todo amor paixão e cortesia

 

* * *

 

DOCE POESIA
Guida Linhares

 

Tantas vezes me perguntam
se tenho dúvidas e problemas.
Esboço um sorriso e respondo,
claro que tenho alguns dilemas,
mas nada que me tire a alegria,
de usufruir da vida mais um dia.

 

Nem sempre tudo é cor-de-rosa,
às vezes o céu parece sombrear.
E até mesmo lágrimas vigorosas,
fluem livremente pela face ardente,
lavando a inquieta alma dos viézes
que são comuns a qualquer vivente.

 

Só há um segredo a ser revelado,
que apazigua o coração e o mantém sereno:
a cada tristeza, uso o bálsamo dos versos,
invocando Tália, a musa da poesia ligeira.
Assim em doces poções de mágicas estrofes,
a lira se transforma em fiel escudeira.

 

Santos/SP/Brasil
10/07/10

 

* * *

 

DOCE POESIA...
Cássia Vicente

 

Quando a saudade reclama na alma,
as recordações invadem o pensamento,
a poesia é meu alento e
as letras meu contentamento.

 

Viajo longe, realizo sonhos...

 

Minh'alma se apruma e voo alto
numa embriagues que me traz calma.

 

A poesia se torna doce, melodiosa e
num aconchego gostoso um olhar
de cumplicidade cora minha face.

 

* * *

 

AMOR NÉCTAR DA VIDA
Rogério Miranda
poeta da paz

 

O amor se revela quando
passa por nós
mas distraídos com a escuridão
do caminho em busca de gloria
deixamos escapar a oportunidade
de encontrar o presente da vida...

 

Leve como o sereno
do amanhecer,
o amor é o convite
para atravessar as noites
ouvindo a natureza
que esta amando...

 

Com seus braços
acolhedores o amor
vai alem do imaginário
ele é o todo e tudo
que a vida espera
pae seguir em direção
a sonho da felicidade....

 

O amor é o néctar da vida
e o despertar da alvorada
onde segredo são guardados
em versos da eternidade
espalhando inundações de prazer...

 

* * *

 

DOCE POESIA...
Anna Peralva
 
Quando a saudade crua se desprende no peito
a solidão arisca arrisca obscurecer minh'alma,
mas ela é meu sustento, e sempre dá um jeito
de amparar acalorada, a luz que me acalma...
 
Assim mantenho a estesia e embarco na poesia,
companheira fiel que não reprime a esperança
e em voos noturnos busca a fonte de alquimia.
Um suave alvorecer em serenidade me alcança!
 
E nos pueris versos que nas horas em êxtases traço,
doces são as lembranças tatuadas dentro de mim...
Momentos únicos, onde ainda sinto o calor do abraço
e o tempo que floresce desconhece a fórmula do fim!
 
Doce poesia, onde o amargo não aborta sentimentos!
Poeta sendo, sementes de sonhos adubam meu coração
e fagulhas de um amor confesso se espalham aos ventos
eternizando em palavras o meu cerne, pleno em emoção!
 
11/07/2010

 

* * *

 

E POR FALAR EM POESIA...
Regina Coeli

 

Entre pérolas e flores,
Amores e desamores,
Desponta na ponta dos dedos
Vasto mundo de segredos...
Seus músculos são as palavras
Usadas, cuspidas, sugadas,
Treinadas, exigidas, espremidas, ah...
Tanto sentimento pra chorar...
Atleta que não se cansa de dizer,
No exercício do sentir e do fazer,
Tudo o que a  alma de um alguém expia...
Anda, salta, corre, voa — dor e Refrigério!
Acende as luzes, revela cada meu mistério,
Amiga e amante, teu nome é Poesia!

 

* * *

 

A POESIA NOS UNE
Francis Raposo Ferreira

 

O oceano nos separando
A poesia nos unindo,
Vocês aí nos convidando
E nós aqui retribuindo.

 

Eu me sinto honrado,
Como todo poeta o estará,
Por ter sido convidado.
A ler da melhor poesia que há.

 

Gosto muito de escrever
Não tenho medo de o dizer,
Dando sempre o meu melhor.

 

E com musas assim
Como essas lindas daí,
Só me saem poemas de amor

 

* * *

 

POESIA, DOCE POESIA
Zenaide Giovinazzo

 

Expressão de ternura,
potencial de amor,
tirando de dentro
gamas de encantamento,
transformando a Vida
em magia e cor...

 

SP/12/07/2010

 

* * *

 

DOCE POESIA
Humberto Rodrigues Neto
 
Não me regala tanto este chorado
tom dos poemas que escrever consigo;
encanta-me bem mais o delicado
elogio que me vem de algum amigo.
 
Procurarei sorrir nas minhas primas,
ainda que tenham  da amargura o canto;
e há de pensar, quem leia as minhas rimas,
que há madrigais sorrindo no meu pranto!
 
Meu rumo sigo com a fronte erguida,
tangendo a lira sem tristeza ou dor,
e assim que finde esta enfadonha vida,
irei rimando risos aonde for!
 
Ainda que eu não chegue ao paraíso
e a alegria feneça em derredor,
trarei à flor dos lábios um sorriso,
que infenso à dor parecerá melhor!
  
Flutuando nesta, ou numa outra estrada,
em rota escura ou sendas luminosas
minha poesia há de estar saturada
do trescalar dos lírios e das rosas!
 
Que a dor que o humano coração acossa
encontre, no que escrevo, linimento...
e num'alma que sofre, espalhar possa
um pouco de ternura e encantamento!

 

* * *

 

NAS ASAS DA POESIA
Marilza Pereira Calsavara
MDLUZ

 

Nas asas da poesia,
Usando a imaginação,
O poeta ganha espaço na imensidão,
Com a força necessária,
Para encontrar os céus com asas várias.
Alcançar o paraíso, nas asas do perdão.

 

Nas asas do amor, voar sem rumo,
Sem sentido, sem aprumo...
Como pássaro alado,
No espaço emplumado,
De cores vivas e brilho acetinado.

 

Oh! Asas planando,
Que o vento vai levando,
Enquanto a brisa soprando,
Lembra que tem outras asas voando,
Ao infinito chegando...

 

10/05/2009

 

* * *

 

FAÇO POESIA
Naidaterra

 

Meus sentidos são feitos de versos,
como quem canta, desenha, borda,
tece ou mesmo respira...
Como num lindo jardim brotam flores,
a poesia nasce em mim como por
encanto, um dom divino...
Por certo, desconhece a solidão
o meu coração que transborda amor,
minhas mãos delicadas e fragéis,
não pedem guarida, são guias
incansáveis que se aninham
na mãe natureza...
Minha poesia é felicidade,
é a saudade que rói de mansinho
a emoção, mas é uma dor que não dói...
Faço poesia para os amantes
do belo, brasa que queima o coração...
Faço poesia como o menino roda
o seu pião e a menina faz tranças
em suas bonecas...
Faço poesia com magia de mãos dadas
com a alegria de estar viva e viver...

 

* * *

 

DOCE POESIA
Silvia Giovatto (faffi)

 

Doce poesia que do meu coração ecoa,
no papel vou embaralhando letras,
traçando palavras em ziguezague, procurando rimas
numa pontuação desordenada, formando uma suave melodia.
Poetar é uma arte que enaltece e sensibiliza a alma
é um sopro na vida, de uma esperança anunciada.
A natureza cria sua história, o poeta conta e a poesia decanta.
Doce é o desabrochar da poesia no coração do poeta.
Doce é a rivalidade entre o poeta e a poesia, o sentimento de posse,
torna o poeta vaidoso, o sentimento de  paz, torna a poesia encantada.
Doce poesia que caminha passo a passo com a luminosidade universal.

 

* * *

 

 
-   

 

-