-   

 Abrindo Espaço para a Cidadania

-

CIDADANIA

VAMOS DAR LUGAR AO NOVO

Eri Paiva

 
 

 

Na vida, na Natureza, no Universo enfim, nada é permanente, a não ser o processo de renovação. Tudo muda, tudo se transforma, tudo se renova. Isto é uma riqueza! Saber, poder, observar, experimentar, vivenciar  este processo da lei natural de mutação!Compreender isto é fundamental. Estar aberto ao novo, ao vir-a-ser é sentir-se vivo, do contrário estagnamos,

A lei de mutação, os seus desdobramentos e consequências nós sentimos e observamos dia a dia. Há, por vezes, momentos que não percebemos e somos até capazes de jurar que não vimos acontecer esta ou aquela mudança ou transformação. O processo ocorre e temos dificuldades de acompanhar, de perceber e às vezes de aceitar.

Na rotina diária nos deparamos com  observações do tipo: "custa crer que este menino tenha crescido tanto";  "anoiteceu e eu nem notei"; "nossa, o Ano já está findando!..." e assim vai se dando o processo quer queiramos quer não. Estamos nele, mergulhados nele, somos parte dele. Tudo nos diz respeito! Somos co-responsáveis pelo que foi, pelo que é, pelo que será.

Estamos vivendo o processo de mudança de tempo, de calendário. Um ano está indo, outro está a caminho. Há um momento em que os dois se encontram. Os últimos segundos de vida de um é a porta de entrada dos primeiros segundos do outro. A mudança não se dá no vazio, Mas na relação. O que chamamos de velho não é nada descartável, imprestável. É o velho que garante a existência do novo. O novo vem de lá, do seu útero. O útero do tempo. O novo se gesta no velho, que lhe dá as coordenadas e, lentamente vai saindo de cena para ver o novo surgir, crescer, brilhar.

No Ano Velho que se vai, vai um pouco de nós, de cada um que o vivenciou, experimentou. Foram nossas idéias, ações, sentimentos, desejos que fizeram esse Ano que agora se tornou velho. O que de bom aconteceu teve nossa participação. Igualmente o que de menos bom ocorreu. Vamos ficar atentos ao novo ano que surge. Interessa-nos viver um Ano Novo com idéias e sentimentos negativos, desanimadores?
 

É-nos possível um Ano com justiça e oportunidade para todos quando cruzamos os braços, quando nos fechamos em nosso mundinho e deixamos de colocar à disposição do novo, da mudança o que sabemos, o que temos?

Para que o Ano Novo seja bom eu preciso sê-lo primeiro. Gandhi disse: Seja a mudança que você quer ver no mundo. Tai um homem velho com  uma idéia sempre nova. Está vendo como o problema não está no velho, mas na riqueza acumulada, na sua sabedoria.?! Há quem tenha só conhecimento e há quem tenha conhecimento e sabedoria. São estes últimos que melhor contribuem para o novo acontecer.

 

Em 30.12.2008

 

Publicado, também, no RECANTO DAS LETRAS - T1360241

 

* * * 

 
 

 

 Publicado pelo A ERA DO ESPÍRITO com a autorização do autora.