-   

 Abrindo Espaço para a Cidadania

-

CIDADANIA

O PODER DE GOVERNAR

Eri Paiva

 
 

 

Ninguém nasceu para viver sozinho, porque sozinho ninguém tem condições de crescer, se desenvolver, adquirir o que é necessário  à vida e ao aprimoramento do espírito e do coração. Deus quando criou o homem e a mulher determinou que deviam crescer e multiplicar, povoar a terra e dominá-la. Com estas palavras Deus deu ao primeiro casal o Poder de administrar, governar, cuidar da terra e de tudo que nela há.  E assim foi acontecendo. O homem aos poucos foi descobrindo que tinha esse poder. Que para viver em comunidade era necessário um chefe. Conhecemos da antiguidade chefes que conduziam o povo como Abraão e Moisés. Nas comunidades indígenas o chefe é o cacique. Os ciganos tem o chefe do bando. Então, aos homens constituídos em sociedade, ter uma autoridade para regê-los, procede da natureza que tem na sua origem a Deus como autor.

 

 Com o correr do tempo o homem foi aperfeiçoando o jeito de governar. Antes de Cristo criaram-se os reinados como os Faraós do Egito, os reis da Babilônia. Ainda hoje algumas sociedades vivem sob a autoridade de reis ou rainhas. Criaram também a Ditadura, cuja experiência no Brasil foi muito dolorosa. De uns 200 anos para cá, um novo jeito de governar mais aperfeiçoado, está predominando nas sociedades que é o regime democrático.

 

“Todo poder vem de Deus” (Rom 13,1) que é o Senhor, o Soberano de tudo e de todos. Seja qual for a forma de governar, aquele que recebe esse direito, o recebe senão de Deus e o seu poder de mando tem uma única  finalidade que é promover o bem de todos, o BEM COMUM.

 

Não se faz o Bem Comum sem justiça, sem igualdade de condições, sem oportunidade para todos. Assim como o poder de Deus é justo e quer a felicidade de todos os seus filhos, devem espelhar-se nele aqueles investidos do poder de mando para exercitá-lo de modo a garantir o bem público.

 

É uma missão muito importante mas também muito difícil organizar a comunidade política sem visar a exploração. Quem é egoísta e só pensa em si, não deverá ser eleito porque ele vai para frente e a comunidade vai para trás. O poder é um serviço a todos. Servir para ganhar ou oferecer vantagens a um só ou a alguns é fugir à responsabilidade de assegurar o Bem Público, além de ser um crime.

 

Nas eleições que se aproximam, examinem bem os candidatos ao Poder Público. Comparem suas idéias, suas intenções, suas atitudes e escolham o melhor. Se não tiver o melhor escolham o menos ruim que certamente é o melhor. Se observam que eles tem experiências dominadoras, injustas, se abusaram do poder e em nome desse poder exploraram, humilharam, diminuíram as pessoas em vez de elevarem, fiquemos certos eles prestarão contas um dia. “Os poderosos serão poderosamente punidos” (Sab 6,7). Deus o autor do Poder e justo por excelência, será tanto mais severo quanto mais nobre for a função exercida e o grau da dignidade de uma investidura.

 

Natal/RN - Em 07 de setembro de 2008

 

* * * 

 
 

 

 Publicado pelo A ERA DO ESPÍRITO com a autorização do autora.