-   

T

-

 

A PAZ É UM ARTIGO EM EXTINÇÃO

Marcial Salaverry

 
 

 
Acompanhar o noticiário é algo como um exercício de paciência, pois é algo que sempre me faz lembrar de que existem ocasiões em que me envergonho de ser gente, tanto o ser humano deixa de agir como ser humano, e chega-se à conclusão de que razão mesmo tinha nosso saudoso Raul Seixas: "Eu só queria ser civilizado como os animais...".
 

Animais não fazem certas coisas que o bicho gente faz com tanta frequência, pois não cometem certos crimes inconcebíveis, como estes que usualmente assistimos estarrecidos.


Em sã consciência, não poderíamos sequer imaginar  como podem mentes doentias arquitetar planos tão maquiavélicos como este que aconteceu num certo dia 11/03 na Espanha, ou num certo dia 11/09 nos EUA, ou num certo dia de agosto, em Hiroshima e Nagasaki, ou numa certa Quaresma, no Monte Sinai, ou durante a realização de uma Olimpiada em Munique, ou durante algo que se chamou Cruzadas, e isso sem falarmos nos atos selvagens praticados durante uma tal de Inquisição, sem falar durante o Holocausto. Impossível lembrar de todos... E foram tantos outros, que demonstraram que o ser humano não consegue ser humano.... Pelo menos alguns...
 

A única reação que pode causar é de uma perplexidade total e completa, que penso ser a reação de qualquer pessoa normal, ou quase, que só poderá ser  essa mesma:  perplexidade total e completa ante certos fatos.
 

Quanto mais vejo certas notícias, menos acredito que isso possa acontecer.  Que espécie de insanidade  absurda é essa que leva algumas pessoas a colocar bombas em locais públicos, ferindo, matando, aleatoriamente pessoas cujo único crime era o de estarem vivas, passando pelo local errado, na hora errada? Ou entrar dentro de um avião, e atirá-lo contra um edifício? Ou amarrar bombas em volta do corpo e explodir com elas? Não dá pra entender...


O que nos resta fazer? Simplesmente uma prece, para todas essa vidas desperdiçadas em nome de um ódio absurdo, contra sei lá o que, e o que é pior ainda, em nome da liberdade, em nome de Deus, ou em nome de algo indefinido. Portanto, terríveis crimes são cometidos, segundo esses monstros, em nome da liberdade, em nome de uma vida livre, e em nome do direito de ter uma religião... 
 

E isso  é um contra-senso incrível, pois essa liberdade que esses terroristas monstruosos pregam, é a mesma que aqueles que morreram, ou que ficarão inválidos também desejam, que é a de viver em paz. Como então, praticar-se semelhante violência em nome da liberdade? Em nome do direito de expressão? Se tiraram o direito de vida de pessoas comuns, pois tais atentados ceifam a vida de pessoas comuns, que apenas estavam na hora errada, e no local errado, trabalhadores, donas de casa, cidadãos que nada tem a ver com a briga das lideranças políticas. Então,  como querem que seu direito seja respeitado? Apenas em nome de um ódio absurdo, que apenas é fruto da intolerância do bicho homem.


Portanto, "Eu só queria ser civilizado como os animais.  Não tenho razão?


Portanto, amigos, pensando em fatos assim, o único que me resta fazer é uma prece para as vítimas dessas monstruosidades, e peço que vocês, meus amigos e amigas, que me acompanhem.


UM MINUTO DE SILÊNCIO, por todas essas vítimas da intolerância e da maldade humana.


E então, podemos pensar num LINDO DIA...

 

* * *

 

 

 
-   

Publicado no PORTAL A ERA DO ESPÍRITO com a autorização do autor

-